São Paulo recria Comissão Estadual de Prevenção ao Benzeno


A retomada dos trabalhos da Comissão Estadual de Prevenção ao Benzeno ocorreu dia 16 de maio com a participação de 26 representantes de diversas entidades, entre elas Fundacentro, Fundacentro Baixada Santista, Hélio Queiros, Brasken, Ministério da Saúde, Sindiminérios Santos, SRTE-SP, VGS – Baixada Santista, Sindipetro Baixada Santista, Sindipetro São José dos Campos, SIndipetro Unificado-SP, IBP, Fequinpar, Conselho Regional de Química, Cerest Santo André e Simproquin.


A reunião foi iniciada por Renata Matsmoto, chefe da SEGUR-SRTE (Superintendência Regional do Trabalho e Emprego), que representava o superintendente do Ministério do Trabalho e Emprego em São Paulo. Ela apresentou o novo coordenador da Comissão, o Anildo de Lima Passos Junior, auditor fiscal do Trabalho do MTE.


Foram indicados dois representantes, Renato Lorett (Sindipetro Unificado) pelos trabalhadores e Dr. Jorge Marini,da Abiquim, pela patronal, que ficaram responsáveis de enviar em 30 dias nomes de cinco representantes titulares e cinco suplentes para compor a Comissão.


A Comissão Estadual do Benzeno de São Paulo não funciona desde 2014. No entanto, o estado, que possui muitas refinarias e indústrias químicas, conta com Comissões Regionais do Benzeno no ABC, no Litoral (Baixada Santista), em Campinas e em São José dos Campos, que tiveram alguns de seus representantes nesta reunião.Para a Comissão ser efetivada, será publicada, em breve, uma Portaria no Diário Oficial da União.



Já foram agendadas as datas das próximas reuniões deste ano, em 29 de agosto e 7 de novembro.

“Dentre os pontos citados pelos participantes, foi destacada a necessidade da liberação dos representantes dos GTB’s eleitos pelas empresas para participarem da comissão e a formalização das comissões regionais de prevenção ao benzeno”, informa Renato Lorett.


Com informações de Cristiane Reimberg, Fundacentro.