Artigo analisa efeitos dos benzeno na saúde dos trabalhadores

Está disponível para consulta o artigo dos médicos pesquisadores Danilo Fernandes Costa e Moisés Goldbaum, publicado na revista de Ciência e Saúde Coletivo (vol 22, n.8).

No resumo do texto (acesse aqui), os pesquisadores afirmam: "A toxicidade do benzeno é conhecida e os tipos de doenças a ele ligadas vêm se ampliando. Foi recuperada a trajetória e as descobertas relacionadas às doenças combinadas com o deslocamento das atividades dos países centrais para os periféricos. Neste processo há correlações na prevenção da exposição ao benzeno. No Brasil foram analisadas as aplicações das regulações para identificar seu impacto, pois as informações sobre contaminação ambiental e doenças é bastante precária. Prevaleceram legislações formais sem registro de sua aplicação. Somente quando houve mobilização de trabalhadores e técnicos ocorreram avanços."

Na sequência, registram: "Os riscos da exposição ao benzeno são conhecidos há tempos e vêm sendo objeto de tratamentos diversos no Brasil e no mundo. Sua importância se deve principalmente à sua toxicidade e à difusão de sua utilização, em razão da possibilidade de sua produção a partir do petróleo, do carvão mineral e de sua presença no condensado de gás natural. Trata-se de substância hematotóxica e cancerígena que, apesar disso, tem vasta utilização na cadeia produtiva de extração e refino de petróleo e na produção de aço, principalmente, mas não apenas, em razão de sua presença nas matérias primas destes processos 1-3. É, portanto, uma questão complexa e intricada, pois ao mesmo tempo que se conhecem cada vez mais as características tóxicas deste produto, sua presença e utilização ainda é parte de processos essenciais no mundo. Os principais agravos relacionados ao benzeno estão ligados à hematoxicidade e genotoxicidade decorrentes de sua metabolização. Os mecanismos de ação são complexos e ainda não estabelecidos por completo. A hematoxicidade se manifesta principalmente pela diminuição das células sanguíneas, podendo resultar em diversas formas de queda no número dos elementos sanguíneos: anemia, leucopenia, plaquetopenia, ou das três séries em conjunto, na forma de pancitopenia."

O estudo é um dos mais completos já realizados em medicina do trabalho em relação à questão do benzeno e serve como um importante documento de análise para pesquisadores e dirigentes sindicais que atuam na área de saúde. O site da Comissão Nacional do Benzeno recomenda a leitura.

#Ciênciaesaúdecoletiva #DaniloFernandesCosta #MoisésGoldbaum #pesquisasobrebenxeno #saúdedotrabalhador #artigocientíficobenzeno